Melhor do que ouvir o chamado é dizer "sim" para o chamado de Deus.






Membros

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Você x Você


Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas... (Jeremias 17:9)

Acredito que todas as interrogações que podemos nutrir no percurso de nossas vidas partem sempre de um ponto comum: nós mesmos. Vivemos buscando o auto conhecimento e nos sentimos vazios, se não temos conosco nossa própria resposta em relação as nossas interrogações. Para obter essas respostas assumimos um relacionamento sério com nós mesmos  - começamos então uma viagem  de auto conhecimento, entendimento e aceitação. Passeando por cada um de nossos defeitos, visitando nossas carências, acatando de forma serena a nossa própria imperfeição humana.

 É simples? É fácil? É leve? É superficial? Não, não é não. Primeiro pela ausência da fantasia e ilusão - as quais estamos acostumados a fabricar, engolir e achar normal. Segundo porque esta relação se dá apenas entre você e você. Não existem quaisquer tipos de terceiros ou fatores externos habitando, intervindo e conduzindo seus pensamentos e principalmente, seu coração. Não existe nada anestesiando seus pensamentos e sentimentos sobre sua própria vida. Não, se você aceitar se conhecer. Não, se você se defender da sociedade e das suas fórmulas mágicas - que te levam sempre aos mesmos lugares vazios. É você e você numa relação que se dá pelas vinte e quatro horas que o dia tem. Dormindo e acordando, vivendo  interagindo o tempo todo. Sem mentiras. Sem afagos.  Sem colo. E nessa hora, todas as verdades que você tanto esperou ouvir dos outros, se espelham em você mesmo e você descobre como seu coração é enganoso. Quem é você afinal? O que você deseja de verdade para sua vida? Você pergunta a si mesmo. Pergunta e responde. Pergunta e reconhece que falhou demais.  Mentiu demais. Sonhou demais. Se iludiu demais. Se esfolou com seus próprios sentidos. Se machucou ao esperar dos outros o que não entregou a si. Mas assim aprendeu! 

Entenda, é sempre de dentro pra fora! É do coração para cabeça que tudo flui e se torna sustentável a nossa volta. Só existe verdade no que você diz e faz, quando você está em sintonia com você mesmo. Sem essa conexão, teoricamente óbvia e na prática, muito rara - nada é sustentável - nada é real - seus gestos, seus atos, sua voz, tudo se resume utopia. É só depois. Sim, é algum tempo depois de que você se olha no espelho e sabe - sem artimanhas - quem você é e o que você quer de verdade, que você se torna capaz e digno de amar a si e por consequência, a qualquer outro ao seu redor. É depois de saber o que você quer, o que você não quer, o que aceita e o que jamais irá aceitar - que você encontra o amor, o amor por você mesmo, que é pré-condição sentimental para amar o outro.

Você questionou. Você insistiu. Você buscou se conhecer e acabou conhecendo o amor próprio. Agora ficou fácil, né? Não. Agora ficou mais difícil do que já foi um dia, do que é por natureza. Agora, você não tapa mais o sol com a peneira. Agora, você não usa ninguém para calar sua carência ocasional, você se usa. Agora, você sabe em pouco tempo, ao presenciar pequenas atitudes - o que pode crescer e o que jamais vai passar da condição de semente. Agora, você promete menos, sonha menos e respeita em igualdade com o seu, o sentimento do outro. 

Mas e o resto?  O que é o resto - se o resto é tudo que você não aceita, não quer e não admira? Restos? Agora, você anda feliz na sua própria companhia. Agora, ainda que só - você conhece a mesmice do fim de cada dia - e entendeu de um jeito doce (e não com a sensação de exclusão) que não existe ali um final que combina com você.  Agora, você é feliz - ainda que deseje o que não tenha - e só vai aceitar os sentimentos que cheguem pra somar, pra te tornar alguém mais feliz e melhor. Depois que você se conhece, depois que você se ama e descobre o que quer - o que te seduz é a sintonia. Sintonia de pensamentos. Sintonia de respeito, de amor próprio.

Sintonia… Ela te mostra que os desencontros valeram, que todos erros e tudo mais aconteceu do exato jeito que tinha que ser. E então, finalmente, sua fé em Deus e cada uma de suas orações  ganham um sentido maior - não parece que é amor - não tem jeito nem cara de amor - é amor, apenas amor próprio - e isso basta para não cairmos mais nas armadilhas do nosso enganoso coração.

8 comentários:

Luanda Fernandes disse...

Você é uma pessoa muito especial...Sua maneira direta e sincera de dizer certas verdades nos sacodem...Amor próprio...Auto conhecimento...Verdades...E realidades... Que bom que você voltou a escrever, sou sua fã..rs Parabéns, Letícia Zangrandi! Beijos.

Mirian Alencar disse...

Entrei por acaso e texto novo...=) espero que esteja tudo bem contigo. Um beijo com carinho,
Mirian

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Letícia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirian Alencar disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luanda Fernandes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marcelo Cabett disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
António Jesus Batalha disse...


Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, e verifiquei que eu estava a seguir sem foto, por motivo de uma acção do google, tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
António Jesus Batalha.